Mensalidade escolar: Um desafio de gestão de famílias e instituições de ensino.

O pensar da Escola:
Definir a mensalidade escolar não é uma tarefa simples. A gestão escolar precisa levar em consideração diferentes fatores que podem impactar o valor dos reajustes; são eles: salários de professores e colaboradores, investimento em infraestrutura (adequação e ampliação do espaço físico, brinquedoteca, biblioteca e laboratórios, por exemplo), novos recursos, investimento em materiais didáticos, dentre outros. A gestão escolar precisará justificar o valor do reajuste em uma planilha contendo todos os gastos e estimativas para o próximo ano letivo. Essa tabela deve ficar disponível para os estudantes e familiares para consulta e comprovação.

Além disso, outro desafio está associado a forma de raciocinar sobre a instituição de ensino. De fato, a escola não pode ser tratada como um simples empreendimento ou negócio. Afinal, transmitir educação é uma responsabilidade social e ela precisa manter essa razão por toda a sua existência.

Por outro lado, tornar-se uma referência de ensino, proporcionando as melhores oportunidades de evolução das crianças e, para a comunidade ao redor, requer investimento. É preciso ter uma estrutura capaz de oferecer aulas e atividades dinâmicas e interativas, seguindo as tendências de ensino, mantendo a qualidade e o compromisso de ser uma escola diferente das outras para ser melhor; ou seja, pensar na mensalidade escolar é envolver todo o raciocínio por trás do orçamento anual de gastos na escola. Assim sendo, separamos algumas considerações que precisam ser levadas em conta na hora de colocar tudo na ponta do lápis e vejam como o preço da mensalidade escolar é a sobrevivência da escola, mas também, uma grande preocupação dos pais!

Final de mais um ano escolar, de acordo com a Lei nº 9.970/99, as instituições de ensino privado precisam indicar os valores das mensalidades dos cursos uma vez ao ano, exceto para os de início semestral. Nesse momento é que a gestão escolar pensa em valores e, não é totalmente negativo considerá-la como um empreendimento que necessita de retorno financeiro para manter-se firme e atuante. Por outro lado, também é importante levar em conta que se trata de uma instituição que presta um importante serviço: a educação.

O pensar da Família:                                                                                                                
Quando escolhem uma escola, as famílias optam por fazer um investimento em seus filhos e, investir em educação não se pode afirmar serem gastos, mas um ótimo investimento; é como dizem os mais velhos e sábios “não se preocupem em deixar bens materiais aos filhos; deixem-lhes educação e eles farão a diferença em toda a vida”. Mas os pais não devem levar em conta somente o valor que investirão nos estudos de seus filhos: importante e necessário é manter uma boa qualidade de ensino e contar com profissionais verdadeiramente qualificados.

Então, encontrar o equilíbrio entre a necessidade de retorno financeiro e a efetividade dos serviços oferecidos é o caminho para o entendimento. Por outro lado, as famílias que estejam decidindo em qual escola fará a matrícula de seus filhos e estão igualmente atraídas, por exemplo, entre duas escolas (ambas apresentam os mesmos padrões em termos de qualidade), o valor dos vencimentos poderá ser um diferencial. Ou seja, a decisão pela escola estará vinculada ao orçamento familiar.

E quando o preço praticado é considerado justo pela família, a imagem da instituição é beneficiada, transmitindo confiança, credibilidade e integridade.

Como o aumento da mensalidade escolar deve ser feito?                                                     
Na prática, as mensalidades escolares possuem um método de se calcular valores diferentes dos de produto ou serviços. Dentre os fatores que influenciam no Ensino Infantil é ter uma estrutura com brinquedoteca, ambiente para a soneca. Já os estudantes de Ensino Fundamental e Médio precisam colocar os conhecimentos teóricos em aulas práticas nos laboratórios de ciências e informática.                                                                                          
Como sabemos, o aumento da mensalidade escolar pode ser feito, mas existem algumas condições para que ele seja legal e justo para as famílias dos alunos. O caso mais alarmante de reajuste abusivo na mensalidade escolar são aumentos na mensalidade durante o ano letivo. Esse tipo de reajuste na mensalidade escolar não é permitido por lei, apenas em casos de cursos trimestrais e semestrais, quando os esses reajustes são feitos após o término do curso inicialmente contratado.                                             

Isso faz muito sentido para proteger as famílias, já que aumentos durante os meses do ano letivo poderiam causar impactos negativos no orçamento familiar.                                                   
De acordo com a lei das mensalidades escolares, o reajuste do preço das mensalidades deve acompanhar a inflação.                                                                                                                    

Além dessa forma, a escola pode conseguir aumentar as mensalidades acima do índice de inflação se apresentar necessidades.                                                                                                           
Os fatores que podem influenciar esse aumento acima da inflação são:

  • Investimento em infraestrutura, como novas salas de aulas, quadras, bibliotecas e laboratórios;
  • Investimento em materiais didáticos;
  • Aumento no salário dos professores.

Em resumo: existir Elo de confiança. 
Resumindo, como se pode ver, a mensalidade escolar é um elo de confiança entre a escola e a comunidade escolar. Ela é fundamental para o planejamento escolar, já que ajuda a gestão escolar a definir o seu público, realizar o reinvestimento anual em novas estruturas, investir na qualificação do seu quadro de professores e, garantir um ensino de qualidade.

Entretanto, as escolas nunca podem esquecer de que a educação não é um produto, mas um serviço prestado à comunidade, e aos pais não se esquecerem de que a qualidade do ensino é o fator determinante para o futuro de seus filhos.

Por fim, vale lembrar que a mensalidade escolar não deve ser vista como um gasto, mas sim um investimento no futuro das crianças. Por isso é necessário desenvolver estratégias para garantir que elas sempre possam ser pagas pela família e, às instituições investirem na qualidade de pessoal, em infraestrutura e especialmente em metodologias que garantam o desenvolvimento integral de seus alunos.

Equipe Doce Saber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *