Dia da Família 8 de Dezembro 2019

Este ano será num domingo e a data serve para homenagear e lembrar a importância da presença da “instituição” familiar na vida de uma pessoa, ajudando na formação da educação, da cultura, da moral e da ética comum a todos nós.                                                                                  
Família não são apenas mamãe e papai, mas também todos aqueles que cuidam e protegem. Uma família pode ser formada apenas pelos avós/avôs, mãe solteira, pai solteiro, mamãe e mamãe ou papai e papai. O que importa é quem cuida e educa o ser humano e não apenas quem “põe no mundo”, como se diz popularmente.

A Família é a nossa âncora, o porto seguro que norteia as ações e delimita a construção e a implementação da nossa filosofia de vida. Pode-se afirmar, com segurança, que esse referencial é complementado pela escola.                               
Na Escola, um minimundo (formado por seres diversos – de diversas famílias) recebe imediatamente o eco e os efeitos das mudanças sociais; em grande parte delas tem o controle da disciplina, a colocação de limites, o cumprimento de normas (necessários para a formação do bom cidadão https://escoladocesaberbh.com.br/4a-mostra-cultural-jogos-brinquedos-e-brincadeiras/) ganham contornos que exigem constante atualização e aprimoramento das competências dos educadores.

Cada Família possui suas características próprias, seus princípios e valores culturais, sociais e religiosos, que cultua, prioriza e procura manter. Mas nas últimas décadas, muitas famílias, perplexas, têm visto crescer, assustadoramente, a violência nas ruas e na sociedade em geral. E, como é uma estrutura sistêmica, busca proteger seus membros, fecham-se atrás de grades, cães treinados, alarmes e sistemas de segurança.                                                                                                                   
E muitas vezes, famílias bem constituídas, preocupadas e vigilantes em relação à educação dos filhos, são pegas de surpresa com atitudes reprováveis dos mesmos na escola, em festas, no condomínio, nos barzinhos, em campos de futebol…

Pode, também, afirmar que muitas crianças e adolescentes estão confusos e sem perspectiva, por falta de referências que alicercem suas existências, apontem rumos e ajudem a marcar limites, por terem pais de primeira viagem, sem a devida bagagem para “criar” a sua família (e, criar, aqui, refere-se a educar – que quer dizer, dialogar, ensinar, mostrar, dar limites, dar exemplo, etc., etc.).                                  
Há de se considerar que testar o adulto, questionar, é próprio do adolescente. Este testar, questionar, geralmente nada mais é do que busca de segurança, de amparo, de ponto de referência. E em famílias que dão firmeza, afeto, ternura, compreensão e bom senso, este adolescente passa a se considerar, mesmo que inconsciente “protegido” por aquele(s) adulto(s), no qual (ais) passa a confiar. Quando não encontra essas características, o adolescente, num primeiro momento, se sente “vitorioso”:  “eu sou muito mais…”; e esse sentimento de “vitória” é substituído, rapidamente, por um misto de fragilidade e falta de amparo:  “se eu venci…, quem pode me orientar?” E este momento torna-se delicado e, que nem sempre conseguimos identificar!                                                                                                                                                          
Então ter “pessoas de referência” na vida das crianças e, principalmente dos adolescentes, mas que sejam presentes e inspiradoras de atitudes e ações construtivas, saudáveis, motivando-os a valores profundos e significativos. Estas pessoas, primeiramente, devem ser os pais, mas, também, os avós, os tios.                    
Os professores podem e devem fazer parte dessa construção do ser humano, e assim, dar uma visão de futuro aos seus alunos, dar motivação para que se transformem em agentes importantes na mudança social a que estão inseridos.

Nossa homenagem para o Dia da Família

A família é um dos bens mais preciosos, pois estão presentes não apenas nos momentos de felicidade, mas também nos tempos difíceis.     

Mamãe e mamãe, papai e papai, vovó e vovô… Todos os tipos de famílias são legítimos, afinal de contas a família é quem acolhe e ama! …não se esqueça de dizer à sua família o quanto ela é especial para você!

Parabéns a todas as famílias que encantam e se encantam para construir a nova geração! Às nossas famílias, em especial, nosso muito obrigado por nos deixar ser parceiros nessa linda caminhada.

EQUIPE DOCE SABER                                                                  

https://escoladocesaberbh.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *